Curso Presencial Autodesk Revit em Macaé

Curso Presencial Autodesk Revit em Macaé

Chegou a Macaé, região dos lagos e norte fluminense o Curso de Autodesk Revit Básico.

Graças a parceria firmado com o Centro Vocacional Tecnológico CVT-FAETEC de Macaé conseguimos viabilizar a realização do curso presencial básico de Autodesk Revit.

O curso é voltado para engenheiro e arquitetos que querem fazer uso, em seus projetos, das avançadas funcionalidades da tecnologia BIM (Building Information Modeling) e de um dos mais utilizados softwares BIM do mundo, o Revit.

O curso será ministrado por Profissional Certificado Autodesk Revit.

A ementa completa e inscrições podem ser consultadas em Curso Autodesk Revit em Macaé.

Um Por Cento Melhor a Cada Dia

“Um por cento melhor a cada dia.”

Se você já ouviu a célebre frase atribuída a Albert Eistein, “os juros compostos são a força mais poderosa do universo”, ou se você conhece um pouco de álgebra e porcentagem, certamente consegue vislumbrar o potencial que existe nessa frase.

Apenas para demonstrar o poder da matemática, ou melhor o poder dos juros compostos vamos imaginar um investimento com valor inicial de R$100,00 e que rende 1% ao dia. Ao final de 1 ano teríamos R$3740,93(!!!), um aumento de 3.641%. Não é esplendido!?

Caminho para o sucesso

Caminho montanhoso e difícil para o sucesso

Evidentemente que quando falamos em melhoria pessoal e desenvolvimento contínuo é muito mais difícil avaliarmos de forma tão precisa e sem margem para contestação o grau de evolução ou melhoria, de qualquer forma o raciocínio matemático dos juros compostos nos dá uma escala de grandeza do nível de evolução que é possível alcançar.

Imagine apenas uma de suas habilidades melhoradas 3.641% em apenas um ano. O que você seria capaz de fazer ao final deste período? Você teria alcançado o sucesso em seu trabalho? Teria alcançado o sucesso em suas relações pessoais? Teria alcançado o sucesso financeiro? O sucesso acadêmico? Teria passado no concurso dos seus sonhos? Teria passado nos vestibulares mais concorridos? O que você teria alcançado?

O Desenvolvimento Contínuo é um processo ininterrupto de aperfeiçoamento de um sistema, se aplicado a pessoas o desenvolvimento contínuo é um caminho seguro para o sucesso, seja lá qual for a sua definição de sucesso.

… o desenvolvimento contínuo é um caminho seguro para o sucesso

"... o desenvolvimento contínuo é um caminho seguro para o sucesso." Rodrigo Alexandre Coelho

… o desenvolvimento contínuo é um caminho seguro para o sucesso.

Em linhas gerais o sucesso nada mais é do que obter êxito. Neste sentido o sucesso pode acontecer em absolutamente qualquer área e sob os mais diversos aspectos. Qual destes aspectos é o mais relevante para você hoje? Qual sucesso você pretende alcançar? Seja qual for o sucesso almejado um dos melhores caminhos para chegar até ele é o do desenvolvimento contínuo.

E qual a relação afinal entre desenvolvimento contínuo, o mote “um por cento melhor a cada dia“ e este blog?

A resposta é simples de enunciar, embora não tão simples de executar. Todo assunto abordado neste blog a partir de agora será voltado pela busca do desenvolvimento contínuo, com a meta simbólica de ser, a cada dia, um por cento melhor.

A meta é ser, a cada dia, um por cento melhor.

Diante disso abordaremos assuntos como estudo eficiente, aprendizagem acelerada, gerenciamento do tempo, produtividade, empreendedorismo digital, motivação, psicologia aplicada, ciência e tecnologia, dentre outros.

Essa, no entanto, não será uma jornada fácil. Enquanto muitos sonham com o sucesso aquele que caminha nas trilhas do desenvolvimento contínuo acorda cedo e trabalha até alcança-lo, ou seja, não há formulas mágicas aqui, mas sim técnicas e conhecimento aplicado para nos fazer melhores, tentando evitar os erros conhecidos, pegando os atalhos de quem conhece o caminho e trabalhando com persistência, objetivo e foco.

"Algumas pessoas sonham com o sucesso, outras levantam cedo e batalham para alcançá-lo" Eike Batista

Eike Batista ensina como alcançar o sucesso

Por outro lado também acho importante pontuar as coisas que você não encontrará por aqui. Basicamente você não encontrará aqui pseudociências, frases de efeito vazias e soluções mágicas.

Qualquer que seja o assunto abordado, tentaremos sempre discuti-lo sob a luz da razão, da ciência e daquilo que a prática empírica demonstra como verdade.

Aqui o desafio será a nossa energia e chegar ao “um por cento melhor a cada dia”, será nossa meta.

Venha se superar a cada dia, venha fazer parte deste desafio comigo.

"Para o infinito e além!" Buzz Lightear

Para o infinito e além!

Ciência e Diversão ou Baratas e Beatbox

TED Ed - Lessons worth sharing

TED Ed - Lessons worth sharing

Eu adoro ciências, quando garoto eu me dedicava bastante as feiras de ciência na escola e sempre aproveita a oportunidade para aprender e testar coisas que não eram, infelizmente, do cotidiano de aulas.

Evidentemente que a paixão por ciência não algo que se limita aos bancos escolares, nesse sentido uma dica que considero muito bacana é o podcast Fronteiras da Ciência da UFRGS.

Outra ótima dica é assistir, e até estudar, as sempre ótimas palestras do TED, que aliás, são muito recorrentes aqui no blog.

Anatomia da perna da barata

Detalhe da perna de uma barata

A palestra tema do post de hoje me chamou a atenção porque é voltada para jovens e crianças e ela aborda o tema neurônios de uma forma absolutamente inusitada e divertida – talvez um pouco nojenta, também – o que é uma ótima forma de atrair a atenção para a ciência e estimular o desejo de pesquisar e aprender nas crianças, afinal elas é que serão os cientistas do futuro.

PS.: mesmo que você não goste de baratas vale a pena assistir o vídeo até o fim, eu garanto que você vai ficar surpreso e vai se divertir com a combinação de baratas e beatbox:

O Mito do Crescimento Populacional Ilimitado

Seria o crescimento da população mundial ilimitado?

Seria o crescimento da população mundial ilimitado?

As teorias mathusianas e neomauthusianas foram responsáveis por disseminar alguns grandes mitos em relação a um suposto crescimento populacional ilimitado e suas consequências nefastas para o planeta. De forma mais recente alguns utilizaram as ideias malthusianas – alaboradas por volta de 1798 – dentro do discurso verde, no sentido de que o crescimento populacional ilimitado levaria ao esgotamento de uma série de recursos naturais.
Uma questão importante que se deve levantar é se realmente a noção do crescimento populacional ilimitado tem algum fundamento concreto.

Para responder a essa pergunta vou recorrer, novamente, a Hans Rosling e mais uma de suas excelentes palestras no TED, em verdade já abordei o tema desta palestra em “A influência da religião nas taxas de natalidade”.

Qual será o número de crianças no mundo no futuro?

Qual será o número de crianças no mundo no futuro?

Rosling nos mostra nesta palestra que o número de crianças no mundo, atualmente na casa dos 2 bilhões, tende a permanecer neste nível, diferentemente do que muitas teorias catastrofistas previam. Isso se deve a claras tendências mundiais de diminuição das taxas de natalidade. O mesmo mundo que no ano de 1960 vias a maioria absoluta de seus países com taxas de natalidade altíssimas, muitos superiores a 5 filhos, está hoje com uma média de 2,4 filhos.

O número de crianças no mundo não irá crescer, vai permanecer em 2 bilhões

O número de crianças no mundo não irá crescer, vai permanecer em 2 bilhões

Ele demonstra que a superação da miséria absoluta e das altas taxas de mortalidade infantil são aspectos fundamentais para uma taxa de fertilidade estável e inferior a 3 filhos por mulher.

Neste sentido Rosling nos diz que a população mundial tende a ficar estável na casa dos 10 bilhões de habitantes, deixando para trás, de uma vez por todas, o mito do crescimento populacional ilimitado.

A população mundia será de 10 bilhões

A população mundia será de 10 bilhões

Um aspecto muito interessante a ser notado é que as pesquisas apresentadas por Rosling mostram que a tendência de diminuição das taxas de natalidade estão muito mais relacionadas a modernização das sociedades do que propriamente a níveis de riquesa e menos ainda a questões religiosas.

A modernização do Quatar foi fundamental para a diminuição de suas taxas de fertilidade

A modernização do Quatar foi fundamental para a diminuição de suas taxas de fertilidade

Para concluir a palestra ele finaliza nos alertando que quaisquer que sejam os cenários ou desafios que estejamos prevendo para o futuro do planeta, devemos nos preparar para este desafios tendo em mente que seremos um mundo com 10 bilhões de habitante.

10 bilhões, é este o tamanho final de nosso desafio.

PS.: é fundamental assistir a palestra a partir dos 10:40 quando Rosling demonstra, usando algumas caixas, como a população vai crescer dos atuais 7 bilhões para 10 bilhões de habitantes e como permanecerá neste patamar.

A influência da religião nas taxas de natalidade

Um dos meus palestrantes prediletos do TED, Hans Rosling, recentemente resolveu abordar um tema bastante espinhoso, a relação entre as religiões e as taxas de natalidade.
É argumento bastante comum, especialmente entre os não religiosos, que a religião seria uma das grandes vilãs no crescimento exponencial da população mundial nas últimas 5 décadas, indo dos 3 bilhões de habitantes em 1960 para os atuais 7 bilhões.
A pergunta fundamental da pesquisa de Hans Rosling foi justamente em que medida esta argumentação é verdadeira, ou seja, qual é o real impacto da religião no número de filhos por mulher?
A primeira dificuldade que Rosling relata é sobre o processo de classificar e delimitar de forma satisfatórias as religiões, para isso ele criou seu próprio modelo com três grandes grupos religiosos: as religiões orientais, o islamismo e o cristianismo, além de um outro pequeno grupo que ele chama de religiões não categorizados.

Mapa mundi relacionando religião e tamanho da população
O critério de Rosling determinava que uma religião adotada por mais de 50% da população seria considerada a religião predominante e portanto seria a representativa de cada país e de sua população.
A análise começa com dados de 1960 e o que se vê é que a maioria absoluta da população feminina mundial tinha em média de 5 a 7 filhos, independente de sua religião, aliás, em 1960 os únicos países em que o número de filhos era, em média, inferior a 3 eram os países cristãos e ricos (com alta renda per capita), a única exceção neste grupo era o Japão, rico e predominantemente de religião oriental.

Relação entre população, religião e fertilidade em 1960
Na medida em que os anos vão se passando, no entanto, uma tendência se mostra bastante clara (os infográficos do Sr. Rosling são sempre surpreendentemente fáceis de se entender), e essa tendência é a de que o números de filhos caiu drásticamente em todo o mundo, em um número enorme de países, independente de sua religião e “quase” que independente de sua riqueza (renda per capita).
Em 2010 praticamente 80% da população mundial estava com uma média inferior a 3 filhos por mulher e isso independente de sua religião. Nesse sentido uma outra questão fica muito clara quando olhamos para os poucos países que, agora no século 21, ainda permanecem com um número altíssimo de filhos por mulher, é a questão da miséria.
Em países com renda per capita muito baixa, considerados miseráveis, o número de filhos por mulher ainda está entre 5 e 7.

Relação entre população, religião e fertilidade em 2010
Esse conjunto de análises leva a conclusão de que são quatro os fatores mais significativos para a diminuição do número de filhos por mulher, são elas:

  1. Mais crianças sobrevivem: condições de relativa paz e mínimas condições de saúde que evitam a morte precoce.
  2. Não é mais necessários muitos crianças para o trabalho: modernização da economia e mínimas condições sociais de dignidade e proteção da criança.
  3. Mulheres com maiores taxas de educação formal e se integrando a força de trabalho formal.
  4. Planejamento familiar acessível.
Os 4 pilares para a diminuição das taxas de fertilidade feminina

Rosling conclui dizendo que a religião é um elemento muito pouco significativo na determinação das taxas de fertilidade feminina, e destaca que esse é um aspecto importante pois mostra que todas as religiões tem a capacidade de se adaptar a essa nova realidade mundial de fertilidade sem tem de abrir mão de suas tradições e convicções. Reforça ainda que a renda per capita também é um fator pouco determinante, desde que, esta renda seja mínima para superar o patamar da miséria e assim sua população possa começar a adentrar no cenário formado pelos 4 pilares destacados acima.

Sumo Business Blueprint – Review – Parte 3

Nesta terceira parte do review do Sumo Business Blueprint vou comentar as três últimas partes do curso e responder a pergunta de um amigo sobre métodos de validação do negócio.

Vamos lá.

Construíndo um negócio em poucos minutos

A parte 2 do curso, “Let’s build a business right in front of your eyes”, é formada por 4 vídeos. Nos dois primeiros o “fat sumo” Neville nos mostra como construir um “guetto site”, ou seja, um site bastante simples, que pode ser feito em poucos minutos, mas que contém os elementos essenciais para testar e validar sua ideia de negócio.

Ele mostra passo a passo como construir um site e como começar a formar uma lista de e-mails usando serviços gratuitos ou com preços bastante baixos.

No terceiro vídeo eles falam sobre como usar os métodos ensinados para validar os mais diferentes tipos de negócios.

No quarto vídeo Neville nos lembra da necessidade de levar tráfego para nosso site teste e nos lembra das técnicas ensinadas para isso.

Transformando o “quero ser empreendedor” em empreendedor

A terceira parte do curso, “Killing the wantrepreneur”, é minha parte preferida de todo o curso. Aqui eles nos mostram que estes pequenos testes e validações que fazemos com nossas ideias de negócios são fundamentais e podem se transformar em um negócio muitíssimo rentável.

Dentre os vídeos desta seção dois deles são entrevistas com empreendedores que começaram apenas testando ideias e que construíram verdadeiros impérios a partir disso. Talvez você, possível-leitor, esteja duvidando da palavra império, então eu vou deixar você tirar suas próprias conclusões:

O primeiro entrevistado é Dan Graham, criador do BuildASign.com, um negócios que começou com uma ideia de negócio entre amigos e um investimento de apenas $100 e que hoje gera cerca de $30 milhões de lucro ao ano.

O segundo entrevistado é Mickey Ristroph que era apenas um estudante que gostava de testar diversas ideias de negócios até que uma de suas ideias, cujo objetivo éra gerar apenas $1 durante todo o verão se mostrou bem mais promissora que isso e acabou criando a maior empresa de desenvolvimento de apps da iTunes Store e com contratos que não o permitem revelar os valores de seu negócio.

A terceira parte ainda vem ainda com mais dois videos bônus disponíveis no Youtube e que eu vocês podem assistir no final deste post, nestes vídeos Neville e Noah falam sobre emprendedorismo e sobre o próprio curso, Sumo Business Blueprint.

Esta terceira parte é a minha predileta porque ela prova que as técnicas ensinadas no curso apesar de serem tão simples e até parecerem banais algumas vezes, são muito efetivas e podem realmente nos levar a construir negócios muito sólidos e rentáveis.

Próximos passos

A quarta e última parte, “The next steps to take”, é formada por uma área de comentários na qual é possível tirar dúvidas e interagir com outros membros do curso Sumo Business Blueprint e por mais dois vídeos bônus.

O primeiro bônus é o curso “Non-boring Copywriting for Startups” feito pelo Neville para o Mixergy.

O outro bônus é a mais recente entrevista do Neville para Mixergy na qual ele também fala sobre as práticas mais eficientes de copywriting. Esta entrevista é excelente, gratuita e você pode vê-la abaixo:

PS.: infelizmente a entrevista já foi para a categoria de arquivo do Mixergy e agora só pode ser vista pelos membros Premium. Embora seja uma pena não poder mostrar a entrevista gratuitamente para vocês eu devo dizer que fazer parte dos mebros Premium do Mixergy é algo que vale muitíssimo a pena, o Andrew Warner é um exelente entrevistador e vai fundo nas questão práticas do empreendedorismo, mostrando realmente as técnicas, táticas e estratégias para criar ou melhorar o seu negócio em seus mais diferentes aspectos.

Aliás se você tem interesse que eu faça um review de algum dos cursos ou entrevistas premium do Mixergy é só pedir pelos comentários, será um prazer. Eu sou um grande entusiasta do Mixergy.

 Como validar um negócio?

Um amigo me enviou um email pedindo para eu contasse que técnicas eram usadas no curso para validar um negócio. Vamos a resposta.

Eles mostram basicamente duas técnicas que podem ser utilizadas em conjunto ou separadamente, dependendo da ocasião e do tipo de negócio.

Vou dar aqui um dos exemplos da primeira parte do curso, “Learning the technical stuff”. No segundo vídeo da primeira parte Neville nos mostra como as habilidades que já temos podem se transformar em ideias de negócios. Uma das habilidades listadas por ele é saber usar o photoshop, simples assim. A partir dessa habilidade ele pensa em possibilidades de negócios e acaba chegando na ideia de oferecer serviços para advogados, montando sketchs de cenas de crime ou acidentes de transito para serem usados em tribunal (o porque deste tipo de serviço tem a ver com a noção de nichos que também é explicada na primeira parte do curso).

Tendo a ideia do negócio o que ele faz é anunciar o serviços em sites gratuitos de classificados e distribuir alguns flyers para advogados nas redondezas.

É simples assim.

Muita gente tem certa dificuldade em aceitar a simplicidade de algumas coisas, por isso vou comentar um pouco sobre o valor deste simples, quase banal, teste de mercado.

O primeiro ponto é que se houver interesse por este tipo de serviço o anúncio dele será encontrado e ele terá a chance de fechar alguns negócios, caso não haja interesse ele terá perdido apenas alguns minutos colocando o anúncio no ar, ou seja, ele vai validar ou não o negócio tendo gasto apenas alguns minutos e praticamente nenhum dinheiro.

Em relação ao flyer o mesmo acontece, caso haja interesse nos serviços os potenciais clientes irão entrar em contato com ele e ele terá a oportunidade de fechar negócio e mais do que isso, se ele tiver a oportunidade de conversar com alguém da área quando for entregar os flyers ele poderá saber não só se há interesse neste serviço, mas também se há interesse em algum outro serviço que talvez seja similar, mas que não tinha sido pensado antes.

Essa é a técnica básica para validar qualquer negócio, colocar os possíveis interessados diante de sua ideia e ver se ela gera interesse ou não. No decorrer do curso eles mostram algumas técnicas mais elaboradas que envolvem análises um pouco mais técnicas como o tamanho do potencial mercado, possível interesse do mercado no serviço e tendências do mercado, essas análises, embora um pouco mais técnicas, são igualmente simples, mas muito eficientes e envolvem ferramentas como Google Trends, Google Adwords, LinkedIn, Facebook e outros.

Espero que a dúvida tenha sido sanada e convido a todos que queiram saber mais sobre o curso a deixarem um comentário. Será um prazer responder as suas perguntas.

 Onde eu encontro o Sumo Business Blueprint?

Se você está se perguntando isso talvez você não tenha lido os demais posts sobre esse review e eu recomendo que você o faça:

Cursos AppSumo – Review

Sumo Business Blueprint – Review – Parte 1

Sumo Business Blueprint – Review – Parte 2

Depois disso você deve se cadastrar na AppSumo e navegar pela aba “All Deals”, lá você encontrará o Sumo Business Blueprint.

 

Seguem abaixo os dois vídeos que prometi, os vídeos bônus da parte 3 do curso, “Killing the Wantrepreneur”:

Noah Kagan e Neville Medhora falam sobre o “wantrepreneur”, aquele que nunca sai da fase do “quero empreender”.

 

Noah Kagan e Neville Medhora falam sobre o curso Sumo Business Blueprint:

Sumo Business Blueprint – Review – Parte 2

BlueprintJá falamos sobre a estrutura e conteúdo geral do curso Sumo Business Blueprint no post anterior (Sumo Business Blueprint – Review – Parte 1), agora vou me aprofundar um pouco mais neste review falando sobre a primeira parte do curso e sobre algumas dúvidas que talvez, você “possível leitor” está tendo.

A primeira parte – “Learning the technical stuff”

Esta primeira parte do curso Sumo Business Blueprint é composta por 10 vídeos e aborda principalmente os conhecimentos e técnicas necessárias para 1)gerar ideias de negócios, 2)testar, ou validar, essa ideia, 3)utilizar ferramentas diversas para estimar resultados, tamanho de mercado e perspectivas de crescimento, estagnação ou declínio, 4)desenvolver ideias e encontrar o nicho mais adequado para colocá-la em prática e 5)princípios de marketing na web e o modelo de email marketing.

Além disso em alguns vídeos especiais Noah Kagan, CEO da AppSumo, responde a perguntas específicas sobre tamanho do mercado, tentativa e erro, “momentum” e competição.

 Os objetivos da primeira parte

Nesta primeira parte a ideia é em um primeiro momento inspirar e mostrar que empreender é fácil, mas é também uma habilidade que depende de treino, portanto só a teoria não basta, é preciso por a mão na massa. Depois disso eles nos apresentam ferramentas e técnicas que vão nos ajudar a validar nossas ideias (sim, ideias, no plural) e verificar se elas são um negócio viável, ou não. E eles fazem isso usando diversas ferramentas como Google Trends, Google Adwords, LinkedIn, por exemplo, para citar apenas três.

O mais importante é que eles não apenas ensinam a teoria, mas eles vão fazendo tudo diante dos seus olhos e mostrando exatamente como tudo acontece, ou seja, sua chance de ficar paralisado sem saber como começar é muito menor.

Para quem o curso é direcionado?

O curso é voltado para quem quer empreender, mas não sabe como fazer ou está paralizado achando que tudo é muito difícil, caro e demorado, o típico “wantrepreneur”, ou seja, aquele que fica sempre no “quero empreender”, mas nunca põe a mão na massa e faz as coisas acontecerem.

Talvez o curso também seja válido para aqueles que já são empreendedores, mas querem saber o básico empreendedorismo digital, como por exemplo, como validar um negócio na internet, que ferramentas usar para estimar o volume do mercado em questão, suas tendências, etc.

O curso Sumo Business Blueprint, não é, definitivamente, para aqueles que já são empreendedores digitais experientes. O curso aborda temas muito básicos, são temas e ferramentas para quem está começando e, em especial, para quer começar.

 Até aqui quais as críticas ao curso?

A possível crítica que eu faria é que o curso não é feito especificamente para brasileiros, ou seja, alguns dos serviços usados não tem relevância para nosso país. Evidentemente que este problema é facilmente superado com um pouquinho de pesquisa para descobrir quais seriam os sites ou serviços equivalentes aqui no Brasil, ou seja, não é um problema que atrapalhe em nada aqueles que querem realmente por as ideias do Sumo Business Blueprint em prática.

Mas onde afinal eu encontro este curso?

É fácil, é só você ir ao site da AppSumo e navegar pela aba “All Deals”, lá você vai encontrar todos os cursos atualmente disponíveis.

 

Até o próximo post.

PS: se você tem alguma dúvida específica sobre o Sumo Business Blueprint ou o Kopywriting Kourse e quer que eu a responda, use os comentários.

PSS.: se você ainda não leu os posts anteriores sobre o review do Sumo Business Blueprint, acesse agora:

Sumo Business Blueprint – Review – Parte 3

Sumo Business Blueprint – Review – Parte 1

 

 

 

Cursos AppSumo – Review